A CULTURA SURDA E O RESPEITO À DIVERSIDADE

Adriana Naves Resende Ribeiro, Fernanda Telles Marques

Resumo


Este estudo envolve parte de uma análise realizada durante a elaboração de uma dissertação de mestrado sobre a educação escolar do surdo. São ressaltadas as especificidades da cultura surda e sua importância para a formação da identidade e para o reconhecimento das diferenças constitutivas do sujeito surdo no ambiente escolar. Objetivos: Refletir sobre os aspectos que envolvem a cultura e a formação da identidade surda no ambiente escolar. Metodologia: Trata-se de um estudo teórico-bibliográfico fundamentado em Gusmão, (1997) e Skliar ( 2010). Discussão: Pela perspectiva da Antropologia constata-se que a imersão no mundo dos surdos é fundamental para que se tenha compreensão de sua cultura, muitas vezes desconhecida e/ou negada pelas instituições escolares. A cultura interfere na consciência, vontade e ação dos indivíduos, e modela a personalidade humana e do grupo aí inserido. No caso em questão, a cultura surda é permeada por atributos advindos da cultura ouvinte, o que acarreta na assimilação de estereótipos que contribuem para reforçar os valores ouvintes e sufocar a expressão da cultura surda. Considerações Finais - A relação entre surdos e ouvintes no ambiente escolar ainda é marcadamente multicultural, resistindo a tornar-se intercultural. Assim, a cultura surda permanece sendo negada, havendo uma intenção permanente de sobreposição por parte da cultura ouvinte, o que se expressa no predomínio tanto das imagens quanto dos discursos sobre o surdo.


Palavras-chave: Diversidade. Cultura Surda. Processos educativos.


Texto completo: PDF

Apontamentos