O PROFESSOR COMPETENTE DA PRÁTICA À TEORIA

Cristina Beatriz Paranhos Silva, Eulália Henriques Maimon, Maria de Lourdes Ribeiro, Maria Soledade Gomes Borges, Regina Clare Monteiro

Resumo


Neste artigo se discute a educação como um mecanismo de desenvolvimento por meio da formação de um sujeito crítico e criativo, que promova ações de cidadania no contexto sócio-histórico, ou seja, um sujeito "competente" dentro de um mundo globalizado. Só a formação acadêmica não é mais pressuposto para ingresso, permanência ou ascensão ao mundo do trabalho, dentro dos moldes atuais de empregabilidade do mundo do trabalho. Por isso, faz-se necessário um estudo mais aprofundado e amplo do assunto. Buscando resposta para a pergunta existe um "modelo" de professor competente tentou-se estabelecer um perfil para este professor. Após a coleta dos dados, obtida por meio de observação e entrevista de 25 professores de vários níveis de atuação e ensino, foi feito um mapeamento de dois conjuntos de características desses sujeitos: pessoais e metodológicas, que foram consideradas reveladoras de competência profissional do professor, uma vez que este foi indicado por ser assim considerado como tal por seus pares. Nesse contexto, a formação inicial e continuada de professores é crucial. A importância desse processo de formação continuada torna-se mais ampla, na medida em que é essencial não só solidificar a concepção e a necessidade de formação de competências, mas também ampliar a discussão, visando uma reflexão sobre a necessidade de uma efetiva reforma nas políticas educacionais, para que as relações entre educação e trabalho criem ambiente propício para o desenvolvimento docente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31496/rpd.v3i7.63

Apontamentos

  • Não há apontamentos.