POLÍTICAS DE FORMAÇÃO PARA O PROGRAMA UM COMPUTADOR POR ALUNO - PROUCA

Maurício dos Reis Brasão

Resumo


Este artigo é um recorte de resultados de pesquisa sobre a formação de professores para o Programa Um Computador por Aluno - PROUCA. Vivemos em uma sociedade que se intitula digital em que o tempo presente e o tempo passado estão presentes no futuro. As tecnologias educacionais foram incorporadas recentemente pelo Ministério da Educação - MEC como um elemento de sua política de materiais educacionais destinados à educação básica. Nesse contexto, objetivamos identificar as ações das políticas públicas para implantação do programa PROUCA, na Rede Pública de Ensino, e se são originadas e definidas pelos princípios do acesso de inclusão digital. Optamos por uma abordagem qualitativa, contando com pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Para análise dos dados, empregamos o software Chic (Classificação Hierárquica Implicativa e Coesiva), que oferece a possibilidade de um olhar estatístico sobre dados qualitativos. O referencial teórico conta com Almeida (2009), Briggs e Burke (2004), Castells (2009), Freire (1998), Kenski (2010, 2007), Levy (2001), Masetto (2003), Moran (2011, 2009, 2006), Nóvoa (1999), Pozo (2002), Silva (2001), Valente (2007), dentre outros. Como resultados parciais, constatamos não ser possível, desvincular a educação da realidade que se apresenta. E, para poder pensar a possibilidade de escolas, com um plural pleno, que incorporem a nova razão que vem sendo gestada na sociedade contemporânea, torna-se necessário conhecer as diretrizes gerais das Políticas públicas que interferem diretamente no setor educacional brasileiro, e, as transformações que as ações desencadeadas pelas mesmas podem provocar nos contextos escolares e nas práticas pedagógicas permeadas pela proposta de formação docente, para e pela, inclusão digital.

Palavras-chave: Formação docente. Políticas Públicas. Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. PROUCA.


Texto completo: PDF

Apontamentos