COMO ESCREVER E LER SEM PRATICAR? UMA EXPERIÊNCIA APLICADA NO ENSINO SUPERIOR

Mirian M. M. Magalhães

Resumo


A discussão apresentada é fruto de uma experiência didática com os alunos de Comunicação Social do Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM). Foi percebido que eles tinham muita dificuldade em lidar com a redação, desde a confecção de textos mais simples nos períodos iniciais até o final do curso quando a exigência aumenta, por exemplo, na elaboração do trabalho monográfico de conclusão de curso (TCC). Nas reuniões de colegiado sempre este problema era levantado e várias iniciativas, individuais e coletivas, foram experimentadas, porém nenhuma apresentou resultado satisfatório. A ação que tem se colocado como um caminho a ser seguido, inicialmente adotada apenas nas disciplinas de produção textual, mas depois por quase todo o corpo docente, consiste em transformar as aulas em espaços para exercitar o máximo possível o conteúdo das ementas das disciplinas. O método, após alguns semestres de aplicação, tem se mostrado eficiente, pois além de transformar as aulas, tornando-as mais dinâmicas, tem aberto os horizontes dos alunos à aplicabilidade das teorias, desmistificando que elas são incompreensíveis e desnecessárias para o bom desempenho profissional. Este paper é o primeiro esforço de sistematização do processo, buscando neste momento compreendê-lo e discuti-lo, localizando-se apenas no campo da pesquisa qualitativa. Uma vez a experiência interpretada, a meta é posteriormente transformá-la em dados quantitativos através do mapeamento das principais dificuldades com o texto, para no futuro avançar mais e propor mudanças mais substanciais nas ementas das disciplinas e na abordagem dos conteúdos.

Palavras-chave: Produção textual. Prática. Leitura. Experiência didática.


Texto completo: PDF

Apontamentos