A MEDIAÇÃO NO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA - PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

Djalma Gonçalves Pereira, Marilene Ribeiro Resende

Resumo


O desenvolvimento tecnológico provocou mudanças sociais nos modos de produção, transferência do conhecimento e relações humanas. Essas afetam a escola, que repensa suas práticas. O EaD aparece como forma de democratização. Como ocorre a mediação do professor no AVA, nos cursos de Licenciatura em Matemática, ofertados por IES mineiras, na perspectiva do formador? Analisa a percepção dos professores em relação ao AVA e a sua utilização para a transposição didática dos conteúdos. A abordagem é qualitativa, com aplicação de questionário e entrevista semiestruturada em 3 IES. Percebe-se que o AVA é utilizado com limitações. O AVA favorece a mediação, mas não prescinde do professor, no seu papel de organizador das atividades de ensino, responsável pela mediação didático-pedagógico, e não prescindem do aluno, sujeito da mediação cognitiva. São as definições impostas de cima para baixo, desde as políticas públicas, expressas na legislação e nos programas, até as definições contidas nos projetos pedagógicos. É o despreparo do professor para atuar nesse novo ambiente, o que o leva a agir por ensaio e erro. É uma concepção de mediação restrita, que considera apenas a comunicação unidirecional entre professor/tutor e alunos, desprezando outros aspectos. É a transposição didática interna, que é realizada, inicialmente, por um dos responsáveis, mas que é acompanhada e avaliada por outros. Tudo isso confirma que a mediação didática no Ensino a Distância tende a ser instrucionista e unidirecional, apesar da concepção positiva dos formadores em relação a essa modalidade e o desejo de promover uma formação de qualidade.

Palavras-chave: Mediação didática. Transposição didática. EaD. Desenvolvimento profissional docente.


Texto completo: PDF

Apontamentos