POLÍTICAS E PROGRAMAS DE FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NA PRIMEIRA DÉCADA DOS ANOS 2000

Luana de Cássia Martins Rodrigues, Cláudio Lúcio Mendes

Resumo


Este trabalho tem como objetivo central problematizar os programas que constituíram as políticas de formação inicial de professores na primeira década de 2000. Como objetivos específicos buscamos investigar os mecanismos legais que instituíram tais programas, bem como descrever as principais características desses programas. A investigação foi realizada mediante pesquisa bibliográfica e análise documental e contou com o subsídio teórico, sobretudo, de Oliveira (2009), Freitas (2007) e Libâneo (2008). Como as políticas expressam a capacidade administrativa e gerencial para implementar ações de governo, as características das políticas públicas de governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva são consideradas. Com a investigação, observou-se que, por apresentar diferentes programas voltados para a formação inicial, as políticas desse período tomaram uma configuração de destaque. Nos programas que emergiram nesse período, nota-se uma tendência em oferecer formação à distância. Porém, essa ação não é empreendida apenas para a formação continuada. A maioria dos programas analisados, que se destinam à formação de professores, tem utilizado a educação à distância como um mecanismo para desenvolver a formação inicial. Além dos cursos oferecidos pela UAB. A CAPES fomenta cursos de formação inicial à distância por meio do Proinfantil e Pró-Licenciatura, por exemplo. Indaga-se, nesse contexto, se a formação inicial oferecida por meio da educação à distância tem suprido às particularidades dessa formação.

Palavras-chave: Política educacional. Programas. Formação inicial de professores


Texto completo: PDF

Apontamentos