FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM DIÁLOGO COM ROUSSEAU E FOUCAULT

Vicentina Oliveira Santos Lima

Resumo


Este artigo é uma síntese feita a partir de uma pesquisa bibliográfica de filosofia comparada em educação. Versa sobre dois tipos de pensamento pedagógico desenvolvidos, respectivamente, por Jean - Jacques Rousseau (1712-1778) e por Michel Foucault (1926-1984) nos quais se faz uma leitura de suas propostas pedagógicas à luz do materialismo histórico - dialético. Rousseau foi um típico filósofo do XVIII, e Foucault do século XIX. Ainda que não fossem homogêneos nas idéias a respeito do homem e da sociedade posto que Rousseau com sua obra tece uma crítica à sociedade francesa da época, uma monarquia autoritária com privilégios às classes dominantes. Rousseau defendia a educação como uma forma de tornar o homem livre, preparado para viver em sociedade. E Foucault uma sociedade constituída nos moldes da modernidade com mudanças já concretizadas e mudanças em andamento, e uma sociedade que massacra e aliena o sujeito. Como representante do estruturalismo, Foucault problematiza indivíduo e as relações de força e a formação educacional. Este artigo tem como objetivo discutir o pensamento pedagógico de Michel Foucault obra de Rousseau, sobretudo na figura do preceptor do Emílio e a função-educador. Tem como referencial teórico Emílio ou da Educação e Foucault e a Função - Educador cujo objetivo é a partir da análise dessas obras, suscitar a crítica para que uma nova síntese seja a norteadora do conhecimento e da formação de professores. Propõe a discussão dos trabalhos como formação de professores numa perspectiva reflexiva prática em que a reflexão- na- ação e reflexão sobre a ação são primordiais no processo ensino aprendizagem o qual pode possibilitar uma leitura de ação e reflexão.

Palavras-chave: Pensamento Pedagógico. Naturalismo. Formação de Professores. Rousseau. Foucault.


Texto completo: PDF

Apontamentos