ARTE E FILOSOFIA DO DIREITO

Alessandra Morais Alves de Souza e Furtado, Elton Antônio Alves Pereira, Sueli Teresinha de Abreu Bernardes

Resumo


O presente trabalho apresenta um recorte de uma pesquisa de mestrado em andamento e constitui um subprojeto do Observatório da Educação - Interdisciplinaridade na educação básica: estudos por meio da arte e da cultura popular. O tema em questão é a complementaridade da arte no ensino da Filosofia do Direito. O objetivo é compreender como a arte pode contribuir para a construção do conhecimento nessa área de estudos. A complementaridade entre arte e ciência encontram respaldo na teoria do filósofo Bachelard, para quem a ciência deve estar sempre unida à imaginação. Esse pensador denomina de imaginação criadora aquela que se relaciona às imagens que colocam em movimento a articulação simbólica entre o mundo interior e o mundo exterior do sujeito. A partir de considerações dessa natureza, chega-se à seguinte questão: como interagir a arte, a imaginação criadora e os saberes específicos no ensino da Filosofia do Direito? A partir de uma pesquisa bibliográfica, aprende-se que o justo e o injusto, o sistema legal, a ética são objeto de estudo dessa disciplina, que levanta questionamentos com o objetivo de instigar transformações no sujeito que a estuda e, via de consequência, no meio social onde ele está inserido. Por meio da arte e da imaginação criadora, o aluno é instigado a questionar, a pensar, a lançar um novo olhar sob o Direito, que é justamente a proposta da jus-filosofia. Dessa forma, a interação proposta do estudo filosófico e da arte evidencia um sentido de complementaridade.

Palavras-chave: Arte. Fenomenologia bachelardiana. Filosofia do Direito. Ensino.


Texto completo: PDF

Apontamentos