LEITURAS SOBRE O CONCEITO DE IMAGINAÇÃO EM GASTON BACHELARD

Meire Luci Bernardes Silva Machado, Sueli Teresinha de Abreu Bernardes

Resumo


Este texto tem como tema as leituras sobre o conceito de imaginação em Gaston Bachelard e as contribuições da imaginação na formação da criança nas fases iniciais de escolarização, na perspectiva teórica de Gaston Bachelard. O objetivo é compreender como a imaginação criadora despertada pelo contato com a arte contribui para a formação da criança nas fases iniciais de escolarização. Entre as teorias que discutem a relação de complementaridade entre o imaginário e o real está a fenomenologia bachelardiana. Em um estudo bibliográfico buscamos a importância dessa teoria para o campo da educação, emerge da afirmação de que o contato com a arte viabiliza a experiência de transformação, de metamorfose do sujeito. O estímulo ao imaginário nessa construção do saber nos períodos iniciais possibilita momentos de constantes descobertas. Nessa fase tudo se torna ações dinâmicas, um constante desafio de “aprender a fazer”, de explorar, inventar, recriar, construir seu caminho à ser guiado pela imaginação. Parte-se da questão: como a imaginação criadora contribui para a formação da criança nas primeiras fases de escolarização? Nos momentos em que ela se encontra em ações de construção e descobertas com as artes plásticas, brincadeira, brinquedo, as artes cênicas e a construção e manipulação de diferentes objetos. A criança viverá uma experiência que lhe possibilitará uma relação do real com o imaginário, em um diálogo transformador na busca do conhecer, do aprender e do criar, tendo o fazer, o experimentar, o brincar e o imaginar como fontes de aprendizagem.

Palavras-chave – Fenomenologia bachelardiana. Imaginação criadora. Arte. Formação da criança.

Texto completo: PDF

Apontamentos