O PROBLEMA DA VALIDADE DE PROPOSIÇÕES MORAIS NO TRABALHO DO PROFESSOR

Sérgio Murilo Rodrigues

Resumo


O artigo propõe que questões morais devam ser discutidas em sala de aula. O professor orientaria uma discussão racional entre os alunos visando obter uma conclusão minimamente válida sobre o tema. Entendemos que o termo mínimo não tem aqui um sentido negativo, mas apenas indica que não seria uma conclusão que fecharia definitivamente a discussão. Na realidade, a possibilidade de habilitar os estudantes a participarem como protagonistas de uma discussão não-violenta e progressiva (no sentido de não ser uma discussão “em círculos”, que não chega a lugar nenhum) é mais importante do que a própria conclusão que pode vir a ser obtida. Seria utilizado o modelo de argumentação racional apresentado na Ética do Discurso de Jürgen Habermas. O problema da validade moral (valores e normas) é que a posição dominante no mundo considera as proposições morais como subjetivas e não passíveis de serem verdadeiras. Habermas defende a possibilidade de se alcançar uma conclusão racional para questões práticas, embora ele considere que o termo verdadeiro seja inadequado para o consenso passível de ser obtido através do discurso. Ele prefere utilizar o termo correção normativa (Richtigkeit). Ele critica a dicotomia entre fatos e valores que domina o mundo moderno. As discussões morais sobre valores e normas precisam fazer parte do trabalho do professor. O modelo de discussão racional proposto pela Ética do Discurso é extremamente fértil como estratégia didática a ser utilizada na sala de aula.

Palavras-chave: validade moral. Habermas. Ética do discurso. Educação.


Texto completo: PDF

Apontamentos