FORMAS DO INDIZÍVEL: PERCEPÇOES INFANTIS SOBRE A VIOLÊNCIA DA ESCOLA

Fernanda O. Franco Assunção, Fernanda Telles Márques

Resumo


Entendida como uma modalidade de violência institucional, a violência da escola é aqui discutida a partir da Educação em diálogo com a Antropologia. Tendo como objetivo identificar e compreender as percepções de estudantes em diferentes momentos do ensino fundamental acerca da violência da escola, a pesquisa, que foi realizada em uma escola pública de um município do Triângulo Mineiro, recorre à Triangulação para relacionar estudos teóricos, observação continuada do cotidiano escolar e dados obtidos por meio de narrativas imagéticas produzidas por crianças de duas turmas escolares, sendo uma de oito e a outra de 10 anos. Como resultados, a pesquisa permite constatar que, diferente dos alunos, os adultos da escola presenciam a violência entre pares, mas não associam sua ocorrência com a instituição escolar, tendendo a “naturalizar” manifestações de violência institucional como parte do aparato necessário ao bom funcionamento de qualquer escola. A pesquisa confirma a lentidão no processo de substituição do princípio da autoridade pela escuta da alteridade, o que envolve diversos fatores. No caso estudado, chamam a atenção aspectos históricos da cultura política local, bem como uma cultura de hierarquização dos sujeitos na qual a criança e o adolescente são identificados e tratados a partir daquilo que lhes “falta” em relação ao mundo adulto, e não considerando aquilo que efetivamente são.

Palavras-chave: Violência escolar. Violência institucional. Alteridade. Análise de desenhos.


Texto completo: PDF

Apontamentos