OS FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO SEGUNDO AS PERSPECTIVAS DO PENSAMENTO DE MONTAIGNE

Gustavo Araújo Batista

Resumo


A filosofia de Michel Eyquem de Montaigne (1533-1592), pensada sob perspectiva educacional, oferece a possibilidade de uma pedagogia pautada no ceticismo intelectual e no estoicismo moral, uma vez que, segundo o ensaísta francês, em sendo impossível a aquisição do conhecimento definitivo ou inquestionável, restaria apenas a busca incessante por algo que seja, ao menos, um pouco mais confiável ou provável, da mesma forma que seria imperativo educar o indivíduo para uma conduta virtuosa e implacável no cumprimento do dever. Nesse ínterim, o objetivo deste artigo, que se justifica na necessidade de aproximar filosofia e educação, é demonstrar a aplicabilidade do pensamento filosófico de Montaigne à reflexão educacional, oferecendo, para isso, uma visão panorâmica do contexto histórico ao qual pertence, isto é, o Renascimento, assim como da sua vida e da sua obra magna (Ensaios), dela extraindo elementos para a compreensão da sua filosofia em geral e, em particular, da contribuição de suas reflexões para uma fundamentação filosófica da educação, sob perspectivas cética e estoica. O referencial teórico adotado para a realização desta pesquisa bibliográfica foi o materialismo histórico-dialético, na versão de Lucien Goldmann (1913-1970). Como resultados da presente pesquisa, apresenta-se que: aprender a sabedoria pela dúvida, para elaborar uma idiossincrasia sólida e independente; aprender a cultivar a virtude, para construir uma índole inquebrantável e implacável no cumprimento das próprias obrigações, concernentes às condições nas quais o indivíduo vier a encontrar-se, a fim de que a sua liberdade não se converta em irresponsabilidade libertina; tal é a mensagem do ensaísta francês.

Palavras-chave: Ceticismo. Estoicismo. Montaigne.

Texto completo: PDF

Apontamentos