Estágio supervisionado nos anos iniciais do ensino fundamental: um estudo a partir da experiência dos licenciandos do curso de pedagogia da UFRJ

Jonathan Aguiar, Luciene Cerdas

Resumo


Este artigo discute a experiência de licenciandos do curso de Pedagogia no estágio supervisionado dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano). Nesse estágio, os licenciandos desenvolvem atividades de observação da instituição e da sala de aula, de coparticipação e de regência de turmas, sem que esses sejam momentos distintos, mas que acontecem de forma orgânica e simultânea. Trazer as vozes desses licenciandos se faz necessário para compreensão de como o estágio contribui para vivências e experiências destes sujeitos nesta etapa da Educação Básica. A partir de uma pesquisa qualitativa, com base no relato de experiência, os sujeitos participantes integraram rodas de conversa sobre a temática. Foram quatro estudantes do curso em questão, que realizaram a prática de estágio em uma escola pública da cidade do Rio de Janeiro, em uma turma de 3º ano. Conclui-se que os licenciandos, ao refletirem sobre seus estágios, evidenciam sua percepção sobre os desafios com os quais os professores, mesmo já experientes, deparam-se no dia a dia, como por exemplo, lidar com a questão da disciplina e agitação das crianças, características próprias da faixa etária dos anos iniciais. No entanto, eles conseguem perceber desafios mais diretamente relacionados ao desenvolvimento de práticas de ensino que permitem lidar com perfis diferenciados de alunos, bem como realizar propostas interdisciplinares tendo como foco o ensino da leitura e escrita.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Jonathan Fernandes de. O lúdico é um saber? Vozes docentes sobre o lúdico no Ensino Superior. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, 2018. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2018.

BARREIRO, Iraíde Marques de Freitas; GEBRAN, Raimunda Abou. Prática de ensino: elemento articulador da formação do professor. In: BARREIRO, Iraíde Marques de Freitas; GEBRAN, Raimunda Abou. Prática de ensino e estágio supervisionado na formação de professores. São Paulo: Avercamp, 2006.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Lei 9394 de 20 de dezembro 1996. Ministério da Educação, Brasília: 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/ l9394.htm. Acesso em: 23 mar. 2018.

FAVERO, Maria de Lurdes. Universidade e estágio curricular: Subsídios para discussão. In: ALVES, Nilda (Org.). Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo: Cortez, 2001.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 10. ed. Campinas: Papirus, 2002.

GOMES, Marineide de Oliveira. Formação de professores na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2009. (Coleção docência em formação. Série educação infantil).

HUIZINGA, Johan. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 2014.

IVENICKI, Ana; CANEN, Alberto. Metodologia da pesquisa: rompendo fronteiras curriculares. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2016.

LUCK, Heloísa. Pedagogia interdisciplinar. 5 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção docência em formação. Séries saberes pedagógicos).

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Educação: Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www.educacao.ufrj.br/portal/modal.php?url=graduacao/ anexos_pedagogia/PPC%20atualizado%202014%202015.pdf. Acesso em: 23 mar. 2018.

REIS, Graça; GONÇALVES, Rafael Marques; RIBEIRO Tiago; RODRIGUES, Allan. Estudos com os cotidianos e as rodas de conversação: pesquisa político-poética em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 25, n. 3, p. 68-87, set/dez. 2017. Disponível em: https: //online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/9748. Acesso em: 25 mar. 2018.




DOI: https://doi.org/10.31496/rpd.v19i40.1269

Apontamentos

  • Não há apontamentos.