Beliefs in initial English Teacher Education: an interpretative study

Autores

  • Leandro Ribeiro Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, Brasil
  • Fábio Henrique Rosa Senefonte Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31496/rpd.v24i49.1558

Palavras-chave:

Initial Teacher Education, Beliefs, English Language

Resumo

This qualitative case study aimed to explore the cognition (focusing on beliefs) of English teacher educators, from a state university in Paraná, about different aspects of initial teacher education (e.g., linguistic, theoretical and didactic-pedagogical knowledge). In this sense, teacher cognition is adopted both as a unit of analysis and as the theoretical foundation (BORG, 2003). For such purposes, a semi-structured interview with open questions was administered in the aforementioned context. Results reveal three dimensions: Linguistic Command (in terms of homogeneity, heterogeneity and expectations); Affordance (including agency, theoretical-methodological advancement, expectations in didactic-pedagogical and curriculum terms, identity factors, linguistic advancement and curriculum factors); and Hindrance (encompassing no agency; didactic-pedagogical factors; theoretical-methodological and linguistic gaps and physical and human factors). It is expected that this research can contribute to theoretical and methodological reflections in the scope of language teacher education, given that teaching practices are significantly based on the set of beliefs of individuals in such scenario.

Biografia do Autor

Leandro Ribeiro, Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, Brasil

Graduado em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual do Norte do Paraná. Pela mesma Universidade, é mestrando em Ensino. Tem experiência no ensino de língua inglesa.

Fábio Henrique Rosa Senefonte, Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, Brasil

Diretor de pesquisa e professor adjunto, da subárea de Linguística Aplicada/Línguas Estrangeiras, na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP-CP). Doutor e Mestre em Estudos da Linguagem (na linha de pesquisa ensino, aprendizagem e formação do professor de língua estrangeira) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Especialista em Ensino de Língua Inglesa pela Universidade Estadual do Norte do Paraná. Pela mesma universidade, também é licenciado em Letras, com habilitações em língua portuguesa e língua inglesa com suas respectivas literaturas. Tem experiência no ensino, aprendizagem e formação de professores de língua inglesa. Foi bolsista da Fulbright e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) como professor assistente de língua portuguesa na Howard University (Washington DC-EUA) e aluno de pós-graduação da mesma Universidade, onde cursou disciplinas nos departamentos de Comunicação, Ciências Sociais e Educação. É líder do Grupo de Pesquisa "Estudos Linguísticos e Literários em Inglês -ELLI". Os interesses de pesquisa abrangem Linguística/Sociolinguística aplicadas ao ensino, aprendizagem e formação de professores de línguas adicionais (com foco em variação linguística), bem como metodologia de pesquisa qualitativa.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. A operação global de ensino de línguas. In: ALMEIDA FILHO, J. C. P. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. Campinas: Pontes, 1993.

BARCELOS, A. M. F. A cultura de aprender língua estrangeira (inglês) de alunos de Letras. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). IEL/UNICAMP, 1995.

BARCELOS, A. M. F. Cognição de professores e alunos: tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In: Barcelos, A. M. F. e VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. (Orgs.) Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006, p. 15-42.

BARCELOS, A. M. F. Metodologia de Pesquisa das Crenças sobre Aprendizagem de Línguas: Estudo da Arte. Revista Brasileira de Lingüística Aplicada, v.1, n.1, p.71-92, 2001.

BARCELOS, A. M. F. Reflexões acerca da mudança de crenças sobre ensino e aprendizagem

de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.7, n. 2, 2007, p. 109-138.

BARCELOS, A. M. F.; BATISTA, F. S.; ANDRADE, J. C. Ser professor de inglês: crenças, expectativas e dificuldades dos alunos de Letras. In: Vieira Abrahão, M. H. (Org.). Prática de ensino de língua estrangeira: experiências e reflexões. Campinas: Pontes, 2004. p. 11-29

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATES, T. Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. São Paulo: Artesanato Educacional, 2016.

BARTON, D. LEE, C. Linguagem online: textos e práticas digitais. Tradução Mil-ton Camargo Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BIRELLO, M. Teacher cognition and language teacher education: Beliefs and practice. A conversation with Simon Borg. Bellaterra Journal of Teaching & Learning Language & Literature, v. 5, n. 2, p. 88-94, 2012.

BOGDAN, R; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto, 1994. 333 p.

BOMFIM, B. B. S. B. Crenças em relação à formação inicial de professores de inglês e a prática de ensino de uma professora formadora. 2008. 252 folhas. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

BORG, S. Teacher cognition in language teaching: a review of research on what language teacher think, know, believe and do. Language Teaching. Cambridge University Press, v. 36. 2003, p. 81-109.

BLUM, A. S. Brazilian University English Professors’ Translingual Orientations to Language: Complexities of a Developing Paradigm Shift. 2018. 186 folhas. Thesis (Doctor of Philosophy) - University of Washington. Washington, 2018.

CAMARGO, C. G. Crenças e práticas de professores formadores sobre o ensino da compreensão oral em língua inglesa. 2020. 244 folhas. Tese (Doutorado em Letras) - Setor de Ciências Humanas da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2020.

CAMARGO, C. G.; KLUGE, D. C. Crenças de duas professoras de um curso de Letras a respeito das abordagens de ensino da habilidade da compreensão oral em língua inglesa. CALETROSCÓPIO, v. 7, p. 56-72, 2019.

CASTRO, S. T. R. Mapeando a pesquisa em formação de professores de língua estrangeira em cursos de Letras na Linguística Aplicada. In: CASTRO, S.T.R.; SILVA, E.R. (orgs.) Formação do profissional docente: contribuições de pesquisa em linguística aplicada. Taubaté: Cabral, 2006, p. 125-147.

COHEN, L.; MANION, L.; MORRISON, K. Case studies. In.: COHEN, L.; MANION, L.; MORRISON, K. Research Methods in Education. London/New York: Routledge, 2000, p. 105-133.

DÖRNYEI, Z. Research Methods in Applied Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

DUARTE, E. R. S. P; OLIVEIRA, H. F. A dupla habilitação no curso de Letras: implicações linguísticas e formadoras. Signótica, v. 30, n. 4, p. 675-701, 2018.

FADINI, K. A. Formação Inicial de Professores de Inglês do e para o Século XXI: os papéis da língua inglesa e da tecnologia digital. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Linguística), Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, 2016.

FINARDI, K. R; PIMENTEL, B. Crenças de professores de inglês sobre o uso do Facebook. Revista (Con) Textos Linguísticos, v. 7, n. 8.1, p. 238-253, 2013.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa / Uwe Flick; tradução de Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 405 p.

FREEMAN, D. JOHNSON, K. E. Reconceptualizing the knowledge-base of language teacher education. TESOL quarterly, v. 32, n. 3, p. 397-417, 1998.

GARDNER, R. C. Social psychology and second language learning: the role of atitudes and motivation. London: Richard Clay (The Chaucer Press) Ltd., 1985.

LARSEN-FREEMAN, D.; LONG, M. H. An introduction to second language acquisition research. London: Longman, 1991.

MACHADO, F. Beliefs of professors and students towards the use of ict tools in the letras inglês programme at UFSC. Revista Estudos Anglo-Americanos, N. 37, P. 31-59, 2012.

MOSCOVICI, S. La Psychanalyse, son image, son public. Paris: PUF, 1961.

NÓVOA, A. (Org.). Vida de professores. Porto: Editora Porto, 1995.

PAJARES, F. M. Teachers’ beliefs and educational research: Cleaning up a messy construct. Review of Educational Research, v. 62, n. 3, p. 307-332, 1992.

REIS, S. Learning to Teach Reading in English as a Foreign Language: an interpretative study of teacher’s cognition and action. 2005, 268fls.Tese (Doutorado em Ciências Sociais. Radboud University Nijmegen, Nijmegen, 2005.

ROSENBERG, A. J. O estágio burocrático e a formação do professor: paisagens de ação e paisagens de consciência na licenciatura em língua inglesa – um estudo de caso. 2008. 191 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SANTOS, J. V. Estratégias e elaboração de ensino à distância na UFSC. In: Workshop sobre Educação à Distância. Uberlândia: UFU, 09 e 10 de dez. de 1999.

SENEFONTE, F. H. R. Informal English: Learning, Teaching and Teacher Education 2018. 601 pages Thesis (Doctoral Degree in Language Studies) – State University of Londrina, Londrina, 2018 a.

SENEFONTE, F. H. R. English teachers’ identities concerning their knowledge of slang. BELT-Brazilian English Language Teaching Journal, v. 9, n. 1, p. 58-73, 2018 b.

SILVA, K. A. Crenças e aglomerados de crenças de alunos ingressantes em letras (Ingles). 2005. 243p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP.

SHULMAN, L. S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, Thousand Oaks, California, v. 15, n. 4, p. 4-14, 1986.

SHULMAN, L. S. Knowledge and teaching: foundations of a new reform. Harvard Educational Review, Harvard, v. 57, n. 1, p. 1-22, 1987.

VILAÇA, M. L. C. Aprendizagem de língua inglesa: das dificuldades à autonomia. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades, v. 9, n. 33, p. 42-53, 2010.

Publicado

2024-07-08

Como Citar

Ribeiro, L., & Senefonte, F. H. R. (2024). Beliefs in initial English Teacher Education: an interpretative study. Revista Profissão Docente, 24(49), 1–34. https://doi.org/10.31496/rpd.v24i49.1558