Metodologias horizontais nos primeiros anos do ensino fundamental: um desafio descolonial

Autores

  • Márcia Helena Dutra Schmidt Prefeitura de Porto Alegre. Prefeitura de Sapaucaia do Sul. Universidade La Salle. membro do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI)
  • Gilberto Ferreira da Silva Unilasalle https://orcid.org/0000-0002-6294-2322

DOI:

https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1440

Palavras-chave:

Metodologia Horizontal, Produção Horizontal de Conhecimento, Pedagogia Decolonial, Educação Básica

Resumo

Neste artigo se exercita o pensamento crítico decolonial em umensaio sobre possíveis alternativas para horizontalizar metodologias nas práticas pedagógicas utilizadas em escolas públicas, nos processos de alfabetização e consolidação de aprendizagem nos anos iniciais do ensino fundamental. Intenciona-se verificar como se dá ou não a manutenção da colonialidade, eurocentricidade e subalternização daquilo que é próprio dos sujeitos em sua formação escolar básica. Para dar conta destes propósitos o estudo busca apoio teórico nas contribuições da perspectiva descolonial, explora as metodologias horizontais apontando o diálogo como instrumento de construção do conhecimento. O estudo enfatiza a escola ainda como espaço de manutenção de práticas colonizadoras e aponta para fissuras nesta estrutura que revelam possibilidades para a construção de intervenções docentes deste o viés descolonial.

Biografia do Autor

Márcia Helena Dutra Schmidt, Prefeitura de Porto Alegre. Prefeitura de Sapaucaia do Sul. Universidade La Salle. membro do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI)

Possui especialização em Psicopedagogia pela PUC/RS e especialização em Neuropsicopedagogia e Educaçao Inclusiva pela Faculdade Guilherme Guimbala e especialização em Educação Básica na contemporaneidade: práticas e desafios. É Professora da Rede Municipal de Porto Alegre e de Sapucaia do Sul (RS) e membro do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI) da Universidade La Salle.

Gilberto Ferreira da Silva, Unilasalle

Graduado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Santa Maria, tem mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e realizou estágio de Pós-doutorado na Universidade de Barcelona. É professor do curso de Pedagogia e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade La Salle/Canoas/RS. Pesquisador CNPq e líder do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI)

Referências

AGUIAR, Jórissa Danilla N. A colonização do conhecimento e a crítica ao eurocentrismo nas ciências sociais a partir da produção teórica brasileira. Religación. Revista de Ciencias Sociales y Humanidades Vol. 3, N.º 9, Quito, Trimestral • Marzo, 2018. p. 133-147. Disponível em: http://revista.religacion.com/index.php/religacion/article/view/136/127. Acesso em: 01 set. 2021.

ESCOBAR, Arturo. Mundos y conocimientos de otro modo. El programa de investigación de modernidad/colonialidad latino-americano. Tabula Rasa, núm. 1, enero-diciembre, 2003, pp. 51-86. Universidad Colegio Mayor de Cundinamarca, Bogotá, Colombia. Disponível em http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=39600104. Acesso em: 01 set. 2021.

BAUDOT, Georges. TODOROV, Tzvetan (orgs.). Relatos Astecas da Conquista. São Paulo. Editora da UNESP, 2019.

BERKIN, Sarah Corona & KALTMEIER, Olaf. En Dialogo. Metodologías horizontales en Ciencias Sociales y Culturales. Barcelona: Gedisa Editorial, 2012.

BERKIN, Sarah Corona. Produção horizontal del conocimiento. Bielefeld: CALAS/Maria Sibylla Merian Center, 2020.

CAMPOS, Laurentino Lucas. Metodologias innovadoras de investigación aplicadas al estudio de pueblos originarios. Educación y Territorio, Facultad de Ciencias de La Educación, Humanidades, Filosospyerfía y Artes. Colombia. 2014. p. 60-69.

DULCI, Tereza Maria Spyer e Malheiros, Mariana Rocha. (2021). Um giro decolonial à metodologia científica: apontamentos epistemológicos para metodologias desde e para a América Latina. Revista Spirales, 174–193. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/espirales/article/view/2686 Acesso em: 01 set. 2021.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial e educação no contexto brasileiro: algumas reflexões. In: GOMES, Nilma Lino (org.). Um olhar além das fronteiras. Educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 97-109.

GOMES, Luana. Barth; FLORES, Cristine Gabriela; SILVA, Gilberto Ferreira da; CASAGRANDE, Cledes Antônio. POR UMA ESCOLA INTERCULTURAL: a sala de aula como lugar de muitas histórias. Revista Inter Ação, v. 46, n. 1, 2021. p. 95–112. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/65079. Acesso em: 5 ago. 2021.

HERNÁNDEZ FLORES, Gloria Elvira. Horizontalidad en la investigación educativa: perspectivas de estudio de la desigualdad con jóvenes. Anais. VI Encuentro Latinoamericano de Metodología de las Ciencias Sociales. Universidad Nacional de La Plata. Argentina, Nov. 2018. p.1-15.

MACHADO, Juliana Aquino; SILVA, Juliana Cristina da; SILVA, Gilberto Ferreira da. Dos tempos coletivos: horizontes na formação de professores em rede. In: MACHADO, Juliana Aquino; LEDUR, Rejane Reckziegel; SILVA, Gilberto Ferreira da; SILVA, Juliana Cristina da (orgs.) Saberes em diálogo: docência, pesquisa e práticas pedagógicas. Vol. 2. Canoas, RS: Secretaria Municipal da Educação: Ed. Unilasalle, 2019. Disponível em: https://www.canoas.rs.gov.br/wp-content/uploads/2019/11/Ebook-Saberes-emDialogo-Vol-2-2018.pdf Acesso em: 01 set. 2021.

OCAÑA, Alexandre O.; ARIAS, Maria Isabel & CONEDO, Zaira E. P. Decolonialidad de la educación: Emergencia/urgencia de uma pedagogia decolonial. Colombia. Coleccion: Ciencias Sociales – Serie Educación y Pedagogía. Editorial UNIMAGDALENA. 2018.

PARO, Vitor Henrique. Crítica da estrutura da escola. São Paulo: Cortez, 2011.

QUIJANO, Anibal. Colonialidad, poder, globalización e democracia. Novos Rumos, Ano 17, no 37, p. 4- 28. 2002. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/novosrumos/article/view/2192/1812 Acesso em: 05 ago. 2021.

SILVA, Gilberto Ferreira da. Por uma gênese do Grupo de Pesquisa em Educação Intercultural (GPEI). Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 36, p. 1-22, 2 nov. 2020. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/1702 Acesso em: 02 set. 2021.

SILVA, Gilberto Ferreira da; MACHADO, Juliana Aquino. “Saberes em Diálogo”, um programa de formação continuada em rede: Universidade e Educação Básica. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 28(68), 2020. p. 1-21 Disponível em: http://epaa.asu.edu/ojs/article/view/4937 Acesso em: 12 de abr. de 2021.

TORRES CARRILLO, Alfonso. Por una investigación desde el margen. In: TORRES CARRILLO, Alfonso. La práctica investigativa en ciencias sociales. Bogotá: UPN, Universidad Pedagógica Nacional, 2004. p. 63-79.

TORRES CARRILLO, Alfonso. Pensar crítico y producción de conocimiento desde prácticas de transformación social. REALIS, v.9, n. 01, Jan-Jun. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/realis/article/view/244721 Acesso em: 01 set. 2021.

VAILLANT, Denise. Trabajo colaborativo y nuevos escenarios para el desarrollo profesional docente. Docencia, 60. Santiago, Chile, 2016. p. 5-13 Disponível em: https://ie.ort.edu.uy/innovaportal/file/48902/1/trabajo-colaborativo-y-nuevos-escenariosdenise-vaillant.pdf Acesso em: 01 set. 2021.

Downloads

Publicado

2022-09-05

Como Citar

Dutra Schmidt, M. H., & da Silva, G. F. (2022). Metodologias horizontais nos primeiros anos do ensino fundamental: um desafio descolonial. Revista Profissão Docente, 22(47), 01–18. https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1440