A existência segundo o[s] Qohelet[s]: a literatura bíblica em Haroldo de Campos

Autores

  • Ricardo Almeida de Paula Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Brasil Universidad del Centro de la Província de Buenos Aires, Argentina

DOI:

https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1521

Palavras-chave:

Haroldo de Campos, Transcrição, Existência, Literatura, Bíblia Hebraica

Resumo

Uma das mais conhecidas obras de Haroldo de Campos na transcriação do texto da Bíblia Hebraica é o Qohelet. Campos imerge no universo da palavra que, de acordo ele mesmo, tem o propósito de estabelecer um estudo contrastivo a partir da aplicação de técnicas da poética moderna inspirado em Ezra Pound, na teoria linguística de Roman Jakobson e das premissas em literatura de Walter Benjamin. O termo transcriação propõe uma tradução “hiperliteral”, em que seguindo Jakobson busca seguir as transposições fonossemânticas do original trazendo-as para uma reconfiguração na língua portuguesa, bem como o que vem a ser manifesto e irradiado semanticamente a nível de conteúdo do texto, a saber, através da gramática poética de Jakobson e da logopéia de Pound buscar o sentido existencial e essencial do texto e da literatura em questão. Nosso objetivo é revisitar esses elementos essenciais e existenciais apresentados por Haroldo de Campos através de um diálogo literário e filosófico comparativo entre a transcriação haroldiana e a tradução formalista do texto do Qohelet da Bíblia Hebraica. A conclusão é a de que a tradução traz em si a essência vivencial e existencial e que ao tradutor cabe identificar o percurso da função poética do texto a partir do original e reconfigurá-la na língua de chegada

Biografia do Autor

Ricardo Almeida de Paula, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, Brasil Universidad del Centro de la Província de Buenos Aires, Argentina

É Doutor em Educação (UFG), Mestre em Ciências da Religião (PUC Goiás), Licenciado em Pedagogia (IESA), Bacharel em Teologia - Seminário Presbiteriano do Sul e FACETEN/ MEC. Pesquisador dos Grupos de Pesquisa CAOIDES – Filosofia, Arte e Ciência: o pensamento como heterogênese (UFG) e GPPRA – Protestantismo, Religião e Arte (PUC-Minas). Professor Assistente A da UFMA; Professor convidado do Programa de mestrado e doutorado em Educação da Universidad del Centro de la Província de Buenos Aires. Foi Diretor Pedagógico da UNEPOS, professor titular no UNIPLAN e Assessor Pedagógico da Editora EDEBÊ Brasil/Espanha.

Referências

CAMPOS, H. de. Apostila: diacronia e sincronia. In: CAMPOS, H. de. A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1977.p. 221-223.

CAMPOS, H. Da Trans-Criação: Poética da Tradução na Bíblia Hebraica. In: Miscelânia, Revista de literatura e vida social, Assis, v.3, p. 145-158, 1998.

CAMPOS, H. Qohélet/O-que-sabe Eclesiastes: Poema Sapiencial. São Paulo: Perspectiva, 1991.

HRUSKOVISKI, B.; BEN-PORAT, Z. Poética e estruturalismo em Israel. São Paulo: Cultrix, 1978.

JAKOBSON, R. Linguística e poética. In: JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1978.

POUND, E. ABC da literatura. Tradução de Augusto de Campos. São Paulo: Cultrix, 1970/2012.

PRESTI, S. Qohélet, Job y Salomón: algunos aspectos del pesimismo veterotestamentario en Leopardi. In: Zibaldone. Estudios Italianos, València, v. VI, issue 2, p. 100- 119, julio 2018.

QUENARD, A. N. A “Interlíngua” de Haroldo de Campos. In: Cadernos do IL. Porto Alegre, n. 43, p. 318-325, dez. 2011.

RAVASI, G. La nuova Bibbia per la familia. Roma: Periodici San Paolo, 2009. v. 1.

STEINER, G. Depois de Babel. Tradução: Carlos Alberto Faraco. Curitiba: Editora da UFPR, 2005

Downloads

Publicado

2022-09-05

Como Citar

Paula, R. A. de. (2022). A existência segundo o[s] Qohelet[s]: a literatura bíblica em Haroldo de Campos: . Revista Profissão Docente, 22(47), 01–10. https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1521

Edição

Seção

Dossiê Arte, Filosofia e Ciência – estudos a partir da Educação