A relevância da fenomenologia husserliana para uma psicologia centrada na subjectividade humana

Autores

  • Pedro Manuel dos Santos Alves Universidade de Lisboa, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1523

Palavras-chave:

fenomenologia, Husserl, Psicologia, Subjetividade, Existência

Resumo

Neste artigo, abordo as relações entre a Fenomenologia Transcendental e a Psicologia teórica e clínica. Começo por estabelecer as conexões entre Fenomenologia e Psicologia intencional. De seguida, discuto criticamente algumas orientações para uma Psicologia fenomenológica, nomeadamente as propostas de Amedeo Giorgi. Finalizo com uma apresentação do conceito de historicidade da vida monádica e, sobretudo, com a pouco conhecida dimensão existencial da Fenomenologia, tal como ela aparece nos textos do Husserl tardio, a partir dos conceitos de ponderação do sentido (Besinnung) da vida, tese geral da vontade e de existência.

Biografia do Autor

Pedro Manuel dos Santos Alves, Universidade de Lisboa, Portugal

É Doutor e Mestre em Filosofia (Universidade de Lisboa); graduado em Filosofia (Universidade de Lisboa); Diretor e editor da PHAINOMENON - Revista de Fenomenologia; Membro da Revista PHILOSOPHICA (Universidade de Lisboa), do Círculo Latino-Americano de Fenomenologia, da Revista Investigações Fenomenológicas – da Sociedade Espanhola de Fenomenologia, bem como de outras sociedades cientificas; ex-Presidente da Associação Portuguesa de Filosofia Fenomenológica. Professor permanente do Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Referências

GIORGI, A. The value of phenomenology for psychology. P. Ashworth, M. Cheung Chung (editors). Phenomenology and psychological science. Historical and philosophical perspectives. Springer: New York, 2006.

GIORGI, A. Phenomenology and the practice of science. Existential Analysis, New York, v. 21, n. 1., 2010.

HEFFERNAN, G. Universal besinnung or selbstbesinnung. Husserl’s method for the treatment of ethical, existential, and metaphysical questions as grenzeprobleme of phenomenology. In: HUSSERL CIRCLE, ANNUAL MEETING, 50th, 2019. Lisbon: University of Lisbon, 2019.

HARTIMO, M. Radical Besinnung in formale und transzendentale Logik (1929). Husserl Studies, v. 34, issue 3, 2018.

HUSSERL, E. (Hua I). Cartesianische Meditationen und Pariser Vorträge. The Hague: Martinus Nijhoff, 1950.

HUSSERL, E. (Hua IX). Phänomenologische Psychologie. Vorlesungen Sommersemester. 1925. The Hague: Martinus Nijhoff, 1968.

HUSSERL, E. (Hua VI); Die Krisis der europäischen Wissenschaften und die transzendentale Phänomenologie. Eine Einleitung in die phänomenologische Philosophie. The Hague: Martinus Nijhoff, 1976.

HUSSERL, E. (Hua XXIV). Einleitung in die logik und erkenntnistheorie. Vorlesungen 1906/07. The Hague: Martinus Nijhoff, 1985.

HUSSERL, E. (Hua XXXIV). Zur phänomenologischen reduktion. Texte aus dem Nachlass (1926-1935). Netherlands: Kluwer Academic Publishers, 2002.

HUSSERL, E. (Hua XXXXII). Grenzprobleme der Phänomenologie. Analysen des Unbewusstseins und der Instinkte. Metaphysik. Späte Ethik (Texte aus dem Nachlass 1908 – 1937). New York: Springer, 2014.

Downloads

Publicado

2022-09-05

Como Citar

Alves, P. M. dos S. (2022). A relevância da fenomenologia husserliana para uma psicologia centrada na subjectividade humana. Revista Profissão Docente, 22(47), 01–15. https://doi.org/10.31496/rpd.v22i47.1523

Edição

Seção

Dossiê Arte, Filosofia e Ciência – estudos a partir da Educação